Black Star Riders: ótimo registro em estúdio!

Posted by TRMB | Posted in | Posted on 23:09

Por Carlos H. Silva

Antes de qualquer coisa, se você for daqueles que “não aceitam determinadas bandas sem seu membro mais importante/fundador que morreu/se aposentou/foi chutado”, nem continue a ler, pois apesar do nome Black Star Riders, o que ouvimos aqui na verdade é atual encarnação do lendário Thin Lizzy, outrora comandado pelo não menos lendário Phil Lynott.

O line-up conta com o vocalista Ricky Warwick, o baixista Marco Mendonza, o baterista Jimmy DeGrasso e completando as famosas guitarras gêmeas com Scott Gorham, está Damon Johnson.

Para melhor entendermos: o Thin Lizzy vem fazendo turnês desde os anos 90, mesmo após a morte de Lynott, mas no fim de 2012 quando Gorham decidiu que a banda gravaria um disco novo, achou melhor que lançassem por outro nome. Ao mesmo tempo, o baterista Brian Downey não faria parte por querer descansar após tantas turnês, assim como o tecladista Darren Wharton que quis se dedicar a outros projetos. Então chegamos ao estágio atual em que existe o Thin Lizzy que só faz turnês, e o Thin Lizzy que gravou este álbum, mas sob o nome de Black Star Riders.


E os caras não fizeram feio para o legado da banda. All Hell Breaks Loose, produzido por Kevin Shirley, tem todos os ingredientes que os fãs da banda gostam: boas melodias das guitarras gêmeas, refrãos empolgantes e aquele jeitão do vocalista, que não foge nem um pouco do estilo de Phil Lynott. Vamos simplificar: você consegue imaginar Phil cantando qualquer uma das canções do disco sem mudar nada, devido à grande semelhança entre os timbres dos dois vocalistas - e até mesmo o jeito que pronunciam algumas palavras, com aquele jeitão despojado.


A faixa-título já traz logo de cara um riff lizzystico, e apesar de o álbum todo mostrar o estilo único e inconfundível do velho Thin Lizzy, esta canção apresenta uma sonoridade de certa maneira nova se encontrando com os velhos elementos. Mas daí pra frente é como se estivéssemos ouvindo algo novo de Phil Lynott & Cia. Bound for Glory vem com as guitarras gêmeas e as famosas paradinhas na estrofe, enquanto Kingdom of the Lost continua no clima nostálgico (ouçam o fantasma de Lynott cantando o verso "I haven't got the will to fight"...) e Bloodshot completa o início empolgante do cd.

Hey Judas e Valley of the Stones são outros destaques do lançamento.


Rock n’ roll à lá Thin Lizzy do início ao fim, sem perder o fôlego, e com tudo o que os fãs do Lizzy gostam. Se você é aquele cara que não aceita a banda sem Phil Lynott mas mesmo assim chegou até aqui, pode correr atrás do disco agora mesmo que não vai se arrepender.

Vai ficar uma mistura para lá de interessante mesclar algumas canções de All Hell Breaks Loose com os velhos clássicos nos shows do grupo.




Nota: 8.0


01. All Hell Breaks Loose
02. Bound For Glory
03. Kingdom of the Lost
04. Bloodshot
05. Kissin’ the Ground
06. Hey Judas
07. Hoodoo Voodoo
08. Valley of the Stones
09. Someday Salvation
10. Before The War
11. Blues Ain't So Bad

Comments (0)

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...