Embarque no voo do 707

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:54



Por Rose Gomes

Esta banda americana foi formada em Detroit no finzinho dos anos 70 e traz no seu som ingredientes do AOR e Hard Rock.  O 707 contou inicialmente nos vocais com  Kevin Russel (que também fazia a guitarra), Phil Bryant no baixo, Duke McFadden no teclado, Jim McClarty  na batera e David Carr no piano (sim, a banda tinha um tecladista e um pianista).

Em 1980 os caras lançaram o primeiro álbum, o homônimo 707, AOR puro que traz um dos maiores sucessos da banda, ‘I Could be Good For You', e que foi muito bem aceito pela crítica. O disco ainda traz a agitada ‘You Who Needs to Know’ com um belo trabalho de piano e guitarra, ‘Waste of Time’ com uma pegada que lembra muito o Survivor e a muito bem trabalhada ‘Magic’. Disco muito bom que não cai na mesmice nem mesmo nas baladas, como no caso da  meiga Isabel.




O segundo trabalho da banda, “criativamente” chamado de The Second Album, veio um ano depois sem a mesma levada do primeiro, e com uma pegada mais leve que em algumas músicas como ‘Strings Around My Heart’ e ‘Live Without Her’ nos remete a Bad Company. Destaco ainda ‘Tonite's Your Nite’ (abre o álbum de maneira brilhante), ‘Millionaire’ e ‘Love on the Run’ como as grandes músicas deste álbum que ao meu ver foi menosprezado injustamente pela crítica.



Em 1982 a banda assinou com uma nova gravadora e lançou Mega Force, terceiro e mais aclamado trabalho do grupo, que agora contava com Kevin Chalfant nos vocais e voltava ao estilo do primeiro disco. Tais mudanças resultaram no sucesso  significativo que a banda alcançou, o que lhes rendeu abrir os shows de grandes nomes do rock como Scorpions, Rainbow e REO Speedwagon. Deste excelente disco destaco ‘Mega Force’, ‘Can't Hold Back’, ‘Hell Or High Water’ e ‘Write Again’, sem deixar de esquecer do belo trabalho de solo de batera e guitarra feito em ‘No Better Feeling’.




Depois de um hiato de 18 anos os caras voltaram no final de 2000 com Kevin Russel retornando aos vocais e lançaram Trip to Heaven que em nada lembra os álbuns anteriores do 707. O som se aproxima bem mais do blues e do southern e não há nem sombra do AOR magnífico do Mega Force. Suponho que os fãs de longa data devam ter ficado bastante decepcionados pois foi essa minha reação ao ouvir esse disco, mas devo dizer que é um trabalho de bastante qualidade e destaco as músicas ‘Firing Line’, ‘All I Ever Wanted’, ‘Make Up Your Mind’ e ‘Don´t Say You Love’ me como as que merecem mais atenção, sem esquecer do cover de ‘Never Say Die’ do Black Sabbath, com uma pegada mais leve, bem diferente da original.



Em 2004 a MTM Music resolveu lançar um álbum com as inéditas da banda gravadas entre 1981 e 82. Assim foi lançado The Bridge, quarto álbum da banda que traz a mesma pegada inicial. Nos vocais, o baixista Phil Bryant, membro original da banda faz deste um disco nem tão interessante como Mega Force, mas altamente recomendável para os apreciadores da banda. Destaco ‘You're All I Need’, ‘Sirens of the Sea’, ‘The Bridge’ e ‘The Waiting Game’ (mais uma vez remete a Survivor), além da baladinha ‘The Girl With the Broken Heart’ a lá REO Speedwagon.



O mais recente trabalho dos caras fica por conta do disco The Fourth Decade, quinto álbum de estúdio, desta vez  com Kevin Chalfant dividindo os vocais com Kevin Russel. Neste disco temos uma espécie de mistura de sons com tudo o que os caras fizeram anteriormente. Temos a presença do AOR nas faixas ‘Same Way Out’ e ‘Angilee’; do blues em faixas como ‘No More’ e ‘Don't Say You Love Me’ e um hard rock mais leve como em ‘Up in Smoke’  e  ‘Broke Outta Hell’ (atente para o belo solo de guitarra). Este disco também conta com duas músicas presentes no Trip To Heaven :  ‘Don't Say You Love Me’ e ‘A Sinful Woman’.



Atualmente os caras seguem caminhos diferentes. O batera Jim McClarty por exemplo, hoje é pastor no Tennessee, enquanto que o tecladista Duke McFadden faleceu de problemas cardíacos em 2006. O restante dos músicos seguem pequenos projetos musicais e participações em álbuns de grandes bandas como Kiss e Ted Nugent.

O 707 é sem dúvida uma banda com um trabalho bastante interessante que vale a pena ser conferido. Fica registrada a dica!

Comments (0)

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...