David Bowie: 5 álbuns essenciais em 50 anos de carreira

Posted by Rose Gomes | Posted in , | Posted on 10:05



Por Rose Gomes


Em 2014, David Bowie,  um dos grande nomes da música completa 50 anos de carreira. Nascido David Robert Jones em 1947, o músico tem como característica marcante uma grande capacidade de se renovar artisticamente, o que lhe valeu o apelido de Camaleão do Rock. Nestes 50 anos Bowie se reinventou, criou personagens  que são cultuados até hoje e excelentes álbuns, conceituais ou não. Listei apenas 5 de quase 30 discos que considero essenciais nestas bodas de ouro que o tio Bowie está comemorando. São eles:

The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars (1972) – Considerado por muitos o melhor álbum da década de 70, este trabalho conceitual conta a história do alienígena Ziggy Stardust, um dos personagens mais importantes  da música, que vem à Terra com a missão de salvar nosso planeta que estaria com os dias contados  e  acaba por formar uma banda, os Spiders from Mars. Vivendo a vida de excessos de um rockstar, Ziggy acaba não aguentando a pressão e se suicida (fato que vemos aos montes por aí). Um álbum altamente recomendável o qual destaco as faixas Starman, Hang on to Yourself, Ziggy Stardust, Suffragette City e Rock 'n' Roll Suicide. 







 Aladdin Sane (1973)- Em Aladdin Sane Bowie  traz uma mistura de influências que vão desde as guerras mundiais e o holocausto, passando pelo livro "Vile Bodies" de Evelyn Waugh, e pelo aspecto glam rocker dos músicos da época. Embora o cantor tenha declarado que o álbum não era conceitual, ele mesmo concordou tempos depois que existe uma certa ligação entre as faixas. Com músicas que apresentam claras influências de Stones, como Watch That Man, o disco ainda traz as impecáveis Cracked Actor com letra pesada e belos riffs e Time com belo piano como personagem principal que em dueto com a intensa interpretação de Bowie traz uma sensação quase teatral neste álbum, que é uma verdadeira referência musical.




Heroes (1977) – Heroes é mais um daqueles álbuns que você tem que ouvir. Ouvir se é fã de Bowie, ouvir se não conhece Bowie e quer conhecer, ou simplesmente se você quer apenas escutar algo bom. O disco é parte da aclamada “Trilogia de Berlim” (formada pelos álbuns Low- 1977, Heroes do mesmo ano e Lodger, de 1979), produzidos por Brian Eno e gravados (boa parte) na Alemanha Ocidental, onde Bowie vivia na época, para se livrar do vício das drogas. O destaque deste trabalho fica por conta da faixa-título, a já eternizada Heroes, canção composta em homenagem ao grupo de krautrock Neu!, que gravou uma música chamada “Hero”. Além desta faixa, Sons of the Silent Age com seu saxofone hipnotizante e a suingada The Secret Life of Arabia marcam este grande trabalho que é uma verdadeira viagem instrumental.





Let's Dance (1983)- Não foi a toa que Bowie recebeu o carinhoso apelido de Camaleão do Rock, afinal são pouquíssimos que conseguem conceber mudanças tão bruscas de um álbum para o outro sem perder a qualidade e ainda por cima se tornando melhor ainda, se é que é possível. Mas com Bowie tudo é possível. Let´s Dance é provavelmente um dos melhores discos da década de 80, tendo o músico deixado toda a atmosfera setentista em seus trabalhos anteriores e mergulhado de cabeça numa espécie de new wave e pop rock da época, tudo feito com talento exímio. Entre as faixas que merecem destaque ficam as conhecidíssimas e deliciosas Modern Love, China Girl, Let´s Dance e Shake It. 




The Next Day (2013) – Eu não poderia deixar de citar o mais recente trabalho de Bowie, que depois de anos de hiato resolveu nos presentear com The Next Day, um disco bastante suingado e simpático em que o estilo adotado por ele em seus trabalhos mais recentes aparece e nos dá a boa sensação de estar ouvindo novamente o inconfundível titio camaleão. E o swing e ritmos deliciosos estão presentes logo na primeira faixa, The Next Day, seguindo em The Stars (Are Out Tonight), Love is Lost e (You Will) Set The World On Fire. Vale lembrar que recentemente foi lançada uma versão extra de The Next Day com novas 4 faixas: Atomica, The Informer, Like a Rocket Man e Born In A UFO. Imperdível!




E pra fechar com chave de ouro esta pequena “celebração” dos 50 anos da carreira de Bowie nunca é demais lembrar que a partir de 31 de janeiro até 20 de abril, acontece no MIS (Museu da Imagem e do Som, em SP) a exposição sobre o cantor e os ingressos antecipados que custam R$ 25 podem ser adquiridos aqui




Comments (1)

Essenciais em termos de qualidade:


Low
Ziggy Stardust
Station to Station
Space Oddity
Heroes

---

Melhores em termos de importância

Hunky Dory (o que levou Bowie ao verdadeiro estrelato)
Diamond Dogs (último trabalho da fase Glam, o mais dark do David Bowie até então)
Scary Monsters (o último álbum da fase de ouro)
Outside (o GRANDE ressurgimento)
The Next Day (A maior volta da história do Rock)

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...