A bela herança musical do Traveling Wilburys

Posted by Rose Gomes | Posted in | Posted on 09:54


   Pense num projeto que uniu “apenas” a nata da música, uma banda formada por nada mais, nada menos que Bob Dylan, George Harrison, Jeff Lynne, Roy Orbison e Tom Petty. Pensou? Não, não é sonho, este projeto realmente existiu, se chamou Traveling Wilburys e o mais curioso, aconteceu por acaso.


  O ano era 1988 e os músicos se reuniram no estúdio de Bob Dylan para juntos gravarem Handle with Care, até então faixa que faria parte do lado b do single This is Love, extraído do álbum Cloud Nine de George Harrison. Harrison recrutou o produtor e multi-instrumentista Jeff Lynne que na época trabalhava com Roy Orbison e resolveu que o estúdio de Bob Dylan seria um excelente lugar para a empreitada. “Às vezes você liga para o Bob e leva anos para falar com ele, mas desta vez ele respondeu de primeira e disse que estava tudo bem”, declarou o ex-beatle num pequeno documentário sobre a superbanda.

  A sintonia entre os caras foi tanta que eles resolveram gravar não apenas uma música, mas fazer um álbum inteiro e em dez dias o disco Traveling Wilburys Vol. 1 já estava recheado de boas canções. Se não bastasse o brilho dos músicos e o incrível trabalho que fizeram neste primeiro álbum, eles ainda tiveram a espirituosa ideia de criar pseudônimos para cada integrante do grupo. Assim, o Traveling Wilburys era composto por: Lefty Wilbury (Roy Orbison), Otis Wilbury (Jeff Lynne), Charlie T. Wilbury Jr (Tom Petty), Lucky Wilbury  (Bob Dylan) e Nelson Wilbury (George Harrison, que homenageou seu amigo, o piloto brasileiro Nelson Piquet). 

   Traveling Wilburys Vol. 1 é um álbum realmente encantador. Um presente aos fãs dos músicos que trabalharam de maneira democrática de modo que seja possível reconhecer o traço de cada um deles durante a audição do disco. Além das excelentes composições os destaques ficam com a presença de George Harrison e a graciosa voz de Roy Orbison, mais doce do que nunca! O disco também foi considerado pela pessoa que vos escreve como altamente viciante. Das doze faixas que compõem esta preciosidade eu destaco as faixas Handle with Car, Last Night, Not Alone Anymore, Heading for the Light e End of the Line.







Mas como tudo o que é bom dura pouco, dois meses após o lançamento do belo projeto, Roy Orbison falecia em decorrência de um ataque cardíaco. A banda resolveu homenageá-lo no clipe de End of the Line, com uma guitarra e um retrato seu.




  Dois anos depois, em 1990, Traveling Wilburys Vol. 3 saía do forno, mas sem a mesma resplandecência do primeiro trabalho, afinal a presença e o talento de Orbison foram de notável importância no disco debut. Mas você deve estar se perguntando: “Onde foi parar o volume 2?” e eu te respondo: ele não existe! O próprio Traveling Wilburys Vol. 3 é o segundo álbum e a ideia de nomeá-lo assim, pulando o volume 2 veio da cabecinha de George Harrison, coisas de ex-beatle né...

   Já neste segundo disco os nomes dos músicos mudaram mais uma vez. O line up do Vol. 3 ficou assim: Spike Wilbury (George Harrison), Clayton Wilbury (Jeff Lynne), Muddy Wilbury (Tom Petty) e Boo Wilbury (Bob Dylan). Apesar de ser um trabalho muito bem feito e ter músicas boas, Traveling Wilburys Vol.3 é bem mais apagado e destaco as faixas She's My Baby, Inside Out, Poor House, New Blue Moon e You Took My Breath Away.




    Infelizmente o projeto acabou e além de Orbison, George Harrison também partiu, deixando ainda mais impossível um retorno dos Traveling Wilburys, mas este incrível supergrupo deixou belos registros que valem a pena ser conferidos.                                                                            
                                                                                       (Por Rose Gomes)






Comments (0)

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...